piscinas municipais de ribeirão

espaço público, swimming pool, sports

A implantação do edifício aproveita a grande extensão do terreno no sentido Norte – Sul, onde se desenvolve o programa que se distribui por dois pisos – rés do chão e cave parcialmente enterrada.

O tratamento de espaços públicos da zona envolvente do edifício, a Poente e a Sul, tem como objectivo, que o estacionamento e sua caracterização, permitam pelo seu desenvolvimento, a hierarquização de acessos de uso distinto.

Para quem acede ao Complexo de Piscinas pelas ruas que o contornam a Poente e a Sul, o edifício assenta numa grande unidade formal, marcada por um forte sentido de horizontalidade, sugerido pela morfologia do terreno.

O átrio, desenvolve-se no sentido longitudinal do edifício a toda a extensão da nave que encerra o tanque de 25m, numa cota elevada relativamente a este. A separação dos dois ambientes é feita através de um envidraçado, que permite a quem percorre o átrio, o contacto visual permanente com os planos de água.

O edifício das piscinas é basicamente um volume de planta rectangular, interceptado por dois pátios a Nascente e rematado por um outro escavado no terreno no topo Sul.

A contenção formal, além de desejada, ao propor um exercício de descoberta e surpresa, garante pela maneira como está formulada, o controlo ambiental da construção.

localização
Ribeirão, Portugal

data
2005-2008

área
11 175m2

 

colaboradores
Fernando Torres
Marlene Sousa
Francisco Oliveira
Hélio Pinto

fotografia
Luís Ferreira Alves

fundações e estruturas
Projegui

instalações hidráulicas
Projegui

gás
CMA

instalações mecânicas
CMA

instalações electricas
Feris

segurança contra incêndio
Feris

estudo térmico
Vasco Peixoto de Freitas